AVISO DO SEESE
Servidores de Itaporanga D’ajuda cobram recomposição salarial

Servidores de Itaporanga D’ajuda cobram recomposição salarial

Desde o ano de 2008 sem contabilizar reajuste linear, os enfermeiros atuantes no município de Itaporanga D’ajuda acumulam 60% de perdas salariais. Diante do impasse financeiro que prejudica a categoria, os profissionais decidiram buscar dialogar com a prefeita Maria das Graças (Gracinha), mas em nenhuma das tentativas o êxito foi conquistado. Conforme denuncia os trabalhadores, a gestora tenta fugir do embate administrativo junto aos profissionais da enfermagem.

Reunidos em assembleia geral na sede do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (SEESE), em Aracaju, os servidores se mostram cansados da batalha e, diante dos recentes acontecimentos, decidiram deflagrar estado de greve até que as pendências sejam regularizadas. Entre estes problemas estão o não pagamento do décimo terceiro em dias, e o repasse do pagamento salarial após o quinto dia útil de cada mês.

“Chegou ao limite. Os enfermeiros estão com uma defasagem salarial de 60%; desde 2008 os profissionais não recebem reajuste linear e ainda por cima as obrigações mensais nunca são respeitadas. Esse mês, por exemplo, a segunda parcela do 13º salário que deveria ser repassado no dia 20 de dezembro só saiu no dia 08 desse mês; já o salário de dezembro só saiu no dia 14”, declarou Shirley Morales. Durante o diálogo ficou definido também que o prazo máximo de espera para receber os salários é até o quinto dia útil.

“O estado de greve já foi aprovado e, caso a constituição não seja respeitada, ou seja, caso o salário não saia até o quinto dia útil de cada mês os enfermeiros de Itaporanga cruzam os braços”, pontuou. A direção do Sindicato dos Enfermeiros já emitiu um novo ofício solicitando uma audiência com a prefeita. A proposta é reivindicar e dialogar sobre a recomposição salarial, bem como o plano de carreira do servidor.