AVISO DO SEESE
Após pressão do Seese, gestão do Hospital Cirurgia se compromete a pagar os salários atrasados dos Enfermeiros

Após pressão do Seese, gestão do Hospital Cirurgia se compromete a pagar os salários atrasados dos Enfermeiros

Depois de diálogos, reuniões, pressão e ameaças de ações judiciais promovidas pelo Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese) por conta das inúmeras irregularidades trabalhistas cometidas pela antiga gestão do Hospital Cirurgia. O atual diretor financeiro e administrativo, Milton Eduardo Santana, se comprometeu em pagar o mês de junho entre hoje, dia 14, até segunda-feira, dia 17.

Já o mês de maio, ele está aguardando o dinheiro que é repassado pelo Estado e Município, entrar na conta para fazer o pagamento. Segundo Milton, provavelmente os trabalhadores estarão recebendo o salário referente a maio na terça-feira, dia 18.

Na ocasião, ele apresentou documentos e ofícios solicitando o repasse das verbas do Estado e Município para resolver esses problemas, bem como, iniciar a mesa de negociação com a categoria para solucionar, na medida do possível, os demais pleitos solicitados pelos trabalhadores.

Entenda o caso

Após receber inúmeras denúncias que o Hospital de Cirurgia vem descumprindo direitos trabalhistas previstos na CLT e Convenção Coletiva de Trabalho, além de não pagar os salários dos meses de maio e junho, bem como o 1/3 das férias referente ao mês de junho, a direção do Seese protocolou essas denúncias no Ministério Público do Trabalho (MPT) para que todas as medidas cabíveis sejam tomadas o mais rápido possível, pois salário, segundo a justiça federal, é considerado verba alimentar.

Durante reunião realizada na última quarta-feira, dia 12, os enfermeiros solicitaram à direção do Sindicato dos Enfermeiros, uma assembleia que será realizada no dia 17 de julho, as 13:30, na sede do Seese, para deliberar indicativo de greve, pois eles estão passando por necessidades devido ao não recebimento dos salários desde maio. Alguns enfermeiros estão se submetendo a pegar dinheiro emprestado para garantir a alimentação da família, como também, para ir trabalhar.