AVISO DO SEESE
Presidente do Seese vai ao MPE pedir celeridade sobre as denúncias feita em abril, do sucateamento do Samu

Presidente do Seese vai ao MPE pedir celeridade sobre as denúncias feita em abril, do sucateamento do Samu

A precariedade das condições em que os Enfermeiros e demais trabalhadores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estão submetidos, está sendo repercutido constantemente na imprensa sergipana. Ainda há pouco, a presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese), Shirley Morales, esteve no Ministério Público Estadual (MPE) para pedir celeridade na audiência pública que foi solicitada ao órgão desde o início de abril.

No documento protocolado pelo Seese, e recentemente denunciado pelo Sindiconam, relata todo o sucateamento do Samu, incluindo o desgaste das frotas, dos equipamentos e estrutura física das bases, a suspensão do serviço das motolâncias e a desativação de bases centralizadas do Estado das Unidades de Suporte Avançado (USA’s).

Devido essas denúncias, a assessoria da promotora responsável pela pasta da saúde do MPE, Caroline Leão, informou que já foi instaurado um procedimento solicitando que o Estado se manifeste sobre as acusações para que seja designado uma audiência pública.

Relembrando o caso

Também no mês de abril, os diretores do Seese juntamente com representantes dos trabalhadores enfermeiros do Samu, pediram não somente aos parlamentares estaduais Maria Mendonça e Georgeo Passos, mas também, ao senador Eduardo Amorim, para que fossem realizadas fiscalizações severas, além de ouvir o que usuários, trabalhadores e expoentes da área tem a falar. São eles que vivenciam diariamente o descaso dos gestores com a saúde pública.

Vale ressaltar que o Samu Sergipe foi um dos pioneiros do Brasil e recebeu o título de excelência por muitos anos sendo modelo para os demais Estados que implantaram esse tipo de serviço. A realidade infelizmente mudou e hoje em dia possui equipamentos sucateados com um atendimento precário.