AVISO DO SEESE
PMA atrasa salários de enfermeiros e SEESE cobra regularização

PMA atrasa salários de enfermeiros e SEESE cobra regularização

Profissionais da enfermagem concursados pelo Estado de Sergipe, porém cedidos para a Prefeitura de Aracaju, estão encontrando dificuldades para receber os respectivos salários em dias. Diante deste impasse administrativo a direção do Sindicato dos Enfermeiros (SEESE) provocou uma reunião extraordinária com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) com o propósito de pressionar o secretário Luciano Paz para que os conflitos sejam devidamente cessados. Neste mês de outubro, enquanto os servidores da saúde receberam o salário no segundo dia útil, os enfermeiros cedidos apenas foram contemplados financeiramente na última quarta-feira, 14.

Paralelo ao respeito constitucional quanto ao pagamento salarial até o quinto dia útil de cada mês, o sindicato exige legalidade junto ao reajuste anual da categoria. De forma oficial a SMS informou que todos os tramites legais estão sendo viabilizados em coparceria da Secretaria Municipal de Planejamento e Governo (Seplog). Segundo a presidente do SEESE, Shirley Morales, toda a demanda de críticas foi apresentada pela classe trabalhadora ao sindicato na manhã da quinta-feira, 15, e já no período da tarde um encontro foi agendado com o secretário adjunto Adalberto Canuto.

“Tomamos conhecimento esta semana que as enfermeiras que atual igualmente nas unidades de atenção básica estão recebendo os salários como se fossem cargos comissionados. Assim que o problema foi passado para o sindicato, nós acionamos a Secretaria de Saúde que prontamente se colocou à disposição, nos recebeu, e passamos as demandas pra eles”, disse. Durante o encontro ainda foi abordada a jornada da rede de especialidade. Para debater o assunto foi montada uma comissão para acompanhar o andamento do projeto desde a formulação dentro do poder administrativo municipal até à Câmara de Vereadores de Aracaju, onde os parlamentares devem apreciar o documento antes de ser votado.

“O secretário Luciano Paz não pode se reunir com a gente devido a extensa agenda, mas o adjunto, Adalberto Canuto, nos atendeu prontamente e se comprometeu a passar para o sindicato a minuta do projeto de lei. Ele informou ainda que está à disposição da comissão para receber sempre que possível a demanda da categoria”, afirmou Morales. Devido ao bom decorrer do diálogo, a direção do SEESE aproveitou o momento para debater o corte do ponto dos profissionais que aderiram a uma paralisação de 24h no Posto de Atendimento Sinhazinha. O ato foi realizado no dia 15 de junho.

Na oportunidade, os enfermeiros se mobilizaram a fim de chamar a atenção do poder público em relação a falta de reajuste salarial linear, cuja data-base venceu em maio, a demora para conclusão do estatuto do servidor e o atraso salarial em maio. O ato contou com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), psicólogos, nutricionistas, farmacêuticos, assistentes sociais, fisioterapeutas e dentistas. Sobre esta pauta a presidente informou: “Ficou definido que os gerentes iriam definir a compensação. Pedimos à SMS que defina quando será realizada essa compensação. Pedimos isso porque uns disseram que era até esse mês e outros informaram que seria até dezembro”.

Reunião_SMS 15102015