AVISO DO SEESE
Servidores da saúde se decepcionam com a decisão do TCE

Servidores da saúde se decepcionam com a decisão do TCE

“Vem vamos embora que esperar não é saber, quem sabe faz a hora não espera acontecer” foi cantando a música Pra dizer que não falei das flores, do compositor Geraldo Vandré, que os servidores municipais da saúde de Aracaju deixaram a plenária do Tribunal de Contas do Estado (TCE) após o conselheiro Ulices Andrade, responsável pela análise das contas da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), ter retirado de pauta a proposta do procurador de contas Sérgio Monte Alegre.  Por voto vencido, a proposta do procurador era justamente acatar um pedido desses trabalhadores: bloquear as contas da PMA até a quitação da folha de pagamento dos servidores públicos.

“Infelizmente não houve uma sensibilidade por parte do pleno, e por uma unanimidade silenciosa, porque nem todos os conselheiros se pronunciaram, os servidores da saúde tiveram um triste fim”, disse Shirley Morales, presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (SEESE).

Segundo Ulices Andrade, o TCE deve aguardar até a próxima segunda-feira, dia 31, para adotar as medidas cautelares que forem convenientes, uma vez que os gestores da PMA, assinaram um acordo se comprometendo a pagar o salário de setembro até o dia 31 deste mês, como também, apresentar um cronograma no dia 05 de novembro, de forma a contemplar o pagamento dos salários dos meses de outubro, novembro, dezembro e o 13º salário.

O movimento grevista se manterá até o dia do pagamento completo dos servidores, havendo retorno das atividades no dia seguinte. O Seese informa que a próxima Assembleia com os enfermeiros acontecerá no dia 31, às 14h00 na sede do próprio Sindicato, com indicativo de greve para o mês de novembro, pois não se sabe ao certo quando será pago o salário de outubro.