AVISO DO SEESE
PREFEITO ASSINA ATA E PROMETE BENEFICIAR ENFERMEIROS E DENTISTAS DE SOCORRO

PREFEITO ASSINA ATA E PROMETE BENEFICIAR ENFERMEIROS E DENTISTAS DE SOCORRO

Em assembleia geral realizada na sede do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (SEESE), em Aracaju, ficou deliberado que a categoria irá aguardar, juntamente com os cirurgiões dentistas atuantes no município de Nossa Senhora do Socorro, que o prefeito Fábio Henrique cumpra a promessa de mudança no Projeto de Lei que visa beneficiar a classe trabalhadora. Atualmente, este PL exclui os enfermeiros e cirurgiões dentistas de quaisquer possibilidades de conquistar avanços. Ciente da injustiça, os sindicatos buscaram o chefe do executivo municipal que prometeu encaminhar para a Câmara de Vereadores uma lei complementar entre o final de fevereiro e início de março. 

Caso cumpra a proposta e os vereadores acatem o desejo das categorias, o salário base que hoje está orçado em R$ 2.420, será reajustado e passará para R$ 2.720. De acordo com a presidente do SEESE, Shirley Morales, é bem provável que Fábio Henrique atenda aos anseios dos trabalhadores. “Nos reunimos com a categoria que compareceu em grandioso número e decidimos esperar que essa lei complementar realmente seja encaminhada para a casa legislativa do município e os vereadores aceitem a proposta. O plano administrativo atual apresenta problemas legíveis e estes devem ser reparados”, declarou. 

Questionada pelos sindicalistas sobre uma possível quebra de acordo por parte do gestor, a presidente garantiu que, se por ventura este receio se torne realidade, uma série de atos públicos será promovida na cidade. Para completar a programação de repúdio, a mídia sergipana será comunicada do destrato. “A Secretaria Municipal de Saúde tem conhecimento desse acordo; a nossa assessoria jurídica tem conhecimento do acordo; os vereadores já aguardam essa lei complementar; enfim, acreditamos que não haverá retrocesso nesse debate, caso ocorra, vamos buscar os meios legais e democráticos para garantir os nossos direitos”, pontuou Shirley Morales.