AVISO DO SEESE
NOTA DE REPÚDIO

NOTA DE REPÚDIO

Os Sindicatos dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese), dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias do município de Aracaju (Sacema) e dos Trabalhadores da Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), vem a público esclarecer que apesar das categorias terem suspendido a greve, repudiam a forma como as mesmas foram tratadas pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), uma vez que estiveram há quase dois meses em greve e somente no dia 23 de agosto, foram-lhes apresentados os dados da situação financeira da instituição pública para constatar o porquê de não haver reajuste salarial neste ano.

Outras categorias apenas sinalizaram a paralisação e obteve, em menos de 48 horas, as mesmas respostas que os mais de 800 trabalhadores, representados pelos sindicatos que assinam esta nota, solicitaram desde o dia 27 de junho do decorrente ano.

Os Sindicatos acreditam que se houvesse a apresentação de um estudo de impacto financeiro por parte da PMA desde o início do movimento grevista, teria solucionado de forma imediata problemas gravíssimos que afetam diretamente o usuário do SUS e dos trabalhadores. Esses servidores tem o compromisso de defender a vida das pessoas e famílias que estão sob os seus cuidados. Eles não querem estar em greve, mas não podem deixar de cobrar seus direitos e melhorias para um atendimento mais humanizado.

Os dirigentes sindicais reafirmam a importância de a gestão reabrir a mesa de negociação que é um espaço conquistado por meio de muita luta dos trabalhadores. A gestão entendeu e já deixou agendado para o mês que vem, uma reunião onde será avaliado o andamento de todas as ações relativas aos pleitos apresentados pelas categorias do Seese, Sacema e Sintasa, como também, que haverá uma nova exposição do cenário econômico-financeiro na primeira quinzena de novembro.

Diante desse cenário, os trabalhadores do Seese, Sacema e Sintasa, estão dando mais um voto de confiança aos gestores municipais e optaram, através de votação, por suspender a greve sob a condição da Prefeitura anular o corte de ponto e pagar o salário integral a todos os trabalhadores em 48 horas após o retorno ao trabalho. Uma outra assembleia irá acontecer no dia 4 de setembro para constatar se todos os trabalhadores receberam seus vencimentos, caso contrário, as categorias irão cruzar os braços no dia seguinte.

 

Atenciosamente,

Seese, Sacema e Sintasa