AVISO DO SEESE
Audiência no MPT debate mais uma vez a situação dos trabalhadores do Hospital Regional de Lagarto

Audiência no MPT debate mais uma vez a situação dos trabalhadores do Hospital Regional de Lagarto

Foi realizado na manhã de hoje, dia 26, mais uma audiência de mediação no Ministério Público do Trabalho (MPT) a fim de chegar a um acordo sobre os Enfermeiros lotados da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) que trabalham no Hospital Regional de Lagarto, e que fizeram desta cidade sua moradia fixa, para que sejam absolvidos na Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), quando este órgão empregador assumir a administração do Hospital. No entanto, as negociações não tiveram um avanço significativo devido à ausência dos representantes da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e da Procuradoria Geral do Estado (PGE). Os representantes que compareceram à audiência de mediação foram a direção do Sindicato dos Enfermeiros (SEESE) e a sua assessoria jurídica, da EBSERH, da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e da FHS.

Durante a audiência, a presidente do Seese, Shirley Morales, relatou sua preocupação quanto aos enfermeiros que residem e trabalham na própria Lagarto, pois adquiriram seus imóveis na cidade e trouxeram suas famílias de outros locais e até mesmo de outros Estados para este município, mas que podem ser lotados em outro local de trabalho. Desta forma, o pedido do Sindicato é de que todos os enfermeiros que desejarem se manter em Lagarto, possam continuar lotados no referido Hospital. Quanto aos empregados que optaram por mudar a lotação, a proposta é que tenham prioridade na escolha do seu novo local de trabalho.

“Estamos buscando mediação junto ao Ministério Público do Trabalho na tentativa de que o Governo do Estado por meio da Secretaria de saúde possa estabelecer a cessão dos empregados da Fundação Hospitalar para a EBSERH. A situação desses trabalhadores precisa ser analisada com cautela”, disse Shirley Morales. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares ficou de analisar a proposta de acolher os trabalhadores cedidos do Estado, desde que os custos desses enfermeiros continuem sendo pagos pelo Governo Estadual.

Na ocasião, ficou designado para o Sindicato encaminhar ao MPT dentro do prazo de 10 dias, a lista dos profissionais que querem permanecer trabalhando no Hospital Regional de Lagarto. Como também, dos que desejam mudar sua lotação. Neste mesmo prazo, será marcado uma assembleia com esses Enfermeiros para que possam ser passadas essas informações e para que seja feita a atualização dos dados.

Entenda o caso

No final de 2014 o prédio do Hospital de Lagarto foi doado para a Universidade Federal de Sergipe (UFS) para uma ampliação e funcionamento como Hospital Universitário. Como na maior parte do país, os hospitais ligados às Universidades Federais são administrados pela EBSERH, o Governo do Estado assinou um Termo de Cooperação firmando que com o término da obra e das adequações, o hospital de Lagarto passaria ser dirigido pela EBSERH. Porém a previsão dessa nova administração é de que aconteça só em 2018, pois os aprovados no último concurso da EBSERH realizado neste mês de janeiro, provavelmente serão convocados a partir de junho até o ano de 2018.